O GUIA DEFINITIVO PARA FAZER UM CHATBOT

Um chatbot é um exemplo de um ótimo passo no caminho da automatização e da automação (se você não sabe a diferença, veja esse post) e pode ajuda muito na tecnologia em negócios. Porém, além de todo o aparato técnico para automatizar uma tarefa, é preciso ter atenção a muitos detalhes. 

Que tipo de empresa precisa de um chatbot? Quais os fatores de sucesso para um chatbot? O que todo chatbot pode ter?

Veja abaixo algumas dicas para construir um assistente virtual funcional. 

O QUE É UM CHATBOT?

De forma simples: um chatbot é um programa de computador desenvolvido para fazer contato ou receber interações de usuários, em geral 24h por dia, todos os dias. 

Indo além, um chatbot é também uma estratégia baseada em tecnologia, que pode ser usada desde a parte de atendimento, passando pela área comercial e chegando às operações de uma empresa. A ideia de um chatbot é aumentar a eficiência do negócio e melhorar a experiência do usuário. 

Um chatbot também pode ser chamado por outros sinônimos, como assistente virtual, assistente de IA, agente virtual, bot, interface de conversação, entre outros. O que também pode variar é seu grau de inteligência, que pode ir desde o mais simples, para automatizar tarefas simples, até mais complexos, com redes neurais e aprendizagem de máquina. 

A verdade é que um chatbot vai muito além de uma solução exclusiva de tecnologia. Confira abaixo um pouco mais sobre essa ferramenta tão importante na tecnologia em negócios. 

O QUE UM CHATBOT PRECISA TER PARA CONQUISTAR O SUCESSO.

Existe mais de uma maneira de desenvolver um assistente virtual do ponto de vista de tecnologia. A Central IT é especialista no assunto e capaz de integrar diferentes sistemas na hora de criar um chatbot de qualidade. 

Porém, além do viés tecnológico, é preciso lembrar que alguns conceitos fazem a diferença na criação do assistente virtual e na definição do sucesso do seu chatbot. Veja alguns deles: 

1. Entendimento global 

Mais do que responder o usuário, é saber outras informações externas, como a geolocalização e notícias para conversas mais completas. 

2. Uma boa memória

É bom conversar com alguém que lembra das suas preferências, né? Com um bot não é diferente. Quanto mais detalhes lembrar, melhor a experiência. Ter que retornar toda vez aos primeiros detalhes pode acabar frustrando o seu usuário. 

3. Permitir conversas longas

Ser multiplataforma (do computador para o celular ou vice-versa) ou permitir que as conversas continuem mesmo se o usuário demorar a responder ajuda muito. 

4. Ter personalidade

Ter um avatar e uma personalidade ajudam muito na eficiência do bot, sabia? Como assim? Um perfil para o chatbot aumenta o engajamento do usuário e, por isso, melhora o funcionamento da tecnologia. Lembre-se que o UX e a participação do público são essenciais para uma maior eficiência, especialmente para que o bot aprenda com sua rotina.

5. Falar de vários assuntosUm chatbot monotemático pode acabar se tornando monótono para o engajamento do usuário. Saber surpreender com assuntos relacionados é um diferencial para o sucesso. Esse é o segredo de assistentes de maior sucesso, como a Alexa e a Siri, por exemplo. 

O QUE PODE FAZER UM CHATBOT FRACASSAR?

Da mesma forma como existem fatores de sucesso para o projeto de um chatbot, alguns pontos também podem levar o assistente virtual ao fracasso. 

Hoje já existem múltiplas tecnologias para negócios desenvolverem assistentes, o que muda, porém, é a expertise para fazer um trabalho que tenha êxito. Um chatbot vai muito além da tecnologia selecionada no projeto. 

Veja o que pode fazer um projeto de chatbot fracassar: 

1. Falta de dados

Robôs não funcionam sozinhos. Na verdade, ninguém funciona sem ter acesso a informação prévia. O mesmo acontece com os assistentes virtuais. Dados são o alimento dos chatbots. Uma dieta pobre vai fazer com que seu projeto fique pelo caminho. 

2. Não entender conversas

Um robô que foi feito para o diálogo precisa entender os assuntos trazidos e abordados pelo usuário. Mensagens como “Não entendi o que você quis dizer” aparecendo muitas vezes na tela podem acabar afundando o sucesso do seu projeto.

3. Esquecer a LGPD

O chatbot pode ser o mais rápido e mais inteligente do mundo. Se não estiver dentro da LGPB, todo o investimento do projeto pode ir por água abaixo. Não adianta criar interfaces que vão perder espaço por não respeitar as políticas de dados. Fique de olho nesse detalhe.

Se você ainda não sabe como sua empresa pode implementar a LGPD, veja o nosso texto exclusivo sobre o tema. 

QUAIS NEGÓCIOS PRECISAM DE UM CHATBOT?

Um pensamento recorrente aos empresários e executivos que não trabalham diretamente com tecnologia é: o meu negócio precisa de um chatbot? De fato, nem toda empresa precisa contar com um assistente virtual. 

Porém, quase todas elas podem se beneficiar de um chatbot funcional. Quer saber como um negócio pode evoluir usando um assistente virtual? Confira abaixo alguns pontos críticos de sucesso para quem quer implementar a tecnologia em negócios. 

1. Atendimentos com resposta simples e rápida

Quem precisa de um primeiro contato rápido com o cliente, seja para fazer uma triagem ou para fornecer uma resposta automatizada, pode se beneficiar de um assistente virtual. 

2. Empresas com atendimento 24h

Turnos de atendimento longos também podem se beneficiar do uso de um chatbot. Quem tem uma cobertura de 24h por dia e 7 dias por semana precisa de automação na entrega. 

3. Quem fornece “tira-dúvidas” para clientes e colaboradores 

Algumas empresas têm grandes quantidades de informações ou dados que precisam ser consultados, seja por clientes ou colaboradores. Um chatbot pode auxiliar na filtragem desse conteúdo na rotina de trabalho. 

4. Quem tem atividades repetitivas

Algumas atividades repetitivas como checagem de processos ou respostas automatizadas podem ser resolvidas com fluxos de trabalho executados por assistentes virtuais. Essa é uma estratégia que libera a equipe para tomar decisões melhores e com mais tempo. 

5. Pesquisadores e cientistas de dados

Um bom assistente virtual pode ser uma boa fonte de dados dos seus clientes (claro, dentro da LGPD). Isso pode auxiliar na geração de insights e na melhoria dos seus produtos, assim como no feedback em tempo real das operações. 

PROCURE UM ESPECIALISTA

Sua empresa parece precisar de um assistente virtual? A boa notícia é que há tecnologias disponíveis para integrar os mais diferentes sistemas e atender as mais variadas necessidades de negócio. 

É importante, porém, lembrar de contar com a ajuda de um especialista na construção da sua ferramenta. Uma visão de negócio e uma resposta técnica precisa vão garantir o sucesso do seu assistente virtual. 

Venha conversar conosco. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

nove + 19 =