Como vencedora do prêmio de Destaque do Ano, Central IT participa de live do Anuário Informática Hoje

A publicação Anuário Informática Hoje premiou, na noite da última segunda (8), as maiores empresas de Tecnologia da Informação do Brasil, de acordo com o seu crescimento econômico e financeiro, baseados em uma estrita análise de estratégias, desempenho de vendas e presença de mercado.

Anualmente, a Fórum Editorial, elabora o ranking da publicação, através da coleta de dados e informações referentes ao faturamento das empresas. Após isto, as organizações são separadas em blocos, segundo o seu ramo de atuação e a análise de critérios técnicos.

O evento de 2020 foi diferente e adequado às recomendações de distanciamento social. Pela primeira vez, em 35 anos, a cerimônia de entrega das premiações foi realizada online. O jornalista Wilson Moherdaui, responsável pelo Fórum Editorial, foi o apresentador e falou sobre como o país vem enfrentando o atual momento e enfatizou que as empresas listadas no ranking, bem como as premiadas como destaque, são grandes protagonistas no desenvolvimento da economia brasileira, já que o seu êxito caminha na contramão das expectativas.

Central IT foi representada por seu presidente Carlos Alberto Freitas, que recebeu o prêmio do Anuário Informática Hoje, como Destaque do Ano 2020, no segmento de serviços. Ao agradecer, Freitas creditou o reconhecimento aos colaboradores.

“Esse prêmio é fruto do foco que o nosso time tem em prover resultados. Em 16 anos de atuação, sempre trabalhamos com a intenção de levar serviços e soluções de sucesso, além de promover a evolução dos negócios dos nossos clientes, o que temos feito sempre com muito comprometimento. Por isso, quero agradecer à nossa brilhante equipe de mais de 1200 pessoas, por estarmos aqui, recebendo este reconhecimento”.

Central IT é destaque no segmento de Prestadores de Serviço – Grande Porte do Anuário Informática Hoje 2020 da Fórum Editorial.

Aí vão as perguntas para o vice-presidente, Antonio Jorge sobre o desempenho da companhia.

Antonio Jorge Soares de Souza

Vice-Presidente de Relações com o Cliente

Que áreas de negócios foram destaque em 2019 e em 2020?

R- Diferente de outras grandes empresas brasileiras e multinacionais do mercado brasileiro, a Central IT atua, exclusivamente, no mercado de serviços de suporte à infraestrutura de TI. Essa estratégia de mercado fez de nossa empresa uma das maiores prestadoras de serviços do país. Em 2019, fechamos o ano com o faturamento acima de R$200 milhões, atuando no mercado público e privado, nas áreas de: Governança de TI e ITSM, Service Desk e Desenho e Implantação de Processos Inteligentes de Negócios. Em 2020, acrescentamos em nossas principais áreas de atuação, a utilização de recursos de hiperautomação com inteligência artificialAIOPS e RPA, além de canais de atendimento autônomos com utilização de chatbot visando um novo modelo para os próximos 5 anos.

Em sua jornada de transformação digital e migração para a computação em nuvem, quais foram as principais demandas dos clientes nesse período (2019-2020)?

R- Estamos acompanhando, com muita expectativa, os movimentos do mercado de TI fora e dentro do país, além disso, estamos totalmente sintonizados com as diretrizes da estratégia de Governo Digital para o período de 2020 a 2022 do Governo Federal. Com isso, temos desenvolvido serviços de migração para ambiente em nuvem em 80% dos nossos clientes Governo.

No que tange à transformação digital, temos um projeto chamado de “Prefeitura na Palma da Mão”, no qual os serviços serão entregues em uma única solução desenvolvida pela Central IT e ofertada na modalidade SaaS – Software as a Service, possibilitando o controle e a visibilidade, tanto ao cidadão quanto à prefeitura. O Projeto proporciona ao cidadão a participação na gestão pública através da cocriação de soluções.

A que atribui o crescimento da empresa no último ano?

R- O nosso crescimento tem sido norteado por decisões internas de melhoria contínua da qualidade dos serviços ofertados, treinamento das equipes com a criação de uma universidade interna, a UNICIT e, principalmente, um direcionamento estratégico orientado à inovação e ao conceito de “rasgar a caixa”, como única forma de acelerar a automação de processos e inovar no modelo de executar as atividades operacionais da empresa junto aos seus clientes, parceiros e fornecedores.

Que fusões e aquisições ou parcerias foram significativas para a companhia no último ano (2019-2020)?

R- A Central IT, nos últimos anos, tem investido em se tornar parceira de empresas que estão atuando nos seguimentos de: hiperautomaçãogovernança de dadosgestão de negócios e gestão de pessoas. Com isso, tem realizado aquisições e participações em empresas que utilizam tecnologias inovadoras, criando assim, mecanismos ágeis que permitem usufruir das inovações tecnológicas que os clientes vêm buscando. Uma delas foi o investimento da startup 65A, fabricante do SIMON, que habilita a hiperautomação em sistemas complexos de tecnologia e de áreas de negócio, simplificando a gestão dos ativos digitais, através do agrupamento de tecnologias disponíveis com os recursos de AIOPS, utilizando para isso a inteligência artificial e a análise cognitiva.

Como será o impacto da pandemia nos resultados de 2020 e 2021?

R- A pandemia atingiu rapidamente a maneira como prestamos os nossos serviços, assim, tivemos que transformar o modelo operacional, criando oportunidades no cenário atual. Somos, hoje, mais de 1.250 profissionais e, grande parte desse efetivo, atuava de forma presencial, em nossos contratos. Com as medidas de restrição e de isolamento social, tivemos que, rapidamente, estabelecer processos de atendimento remoto e criar condições físicas para que os nossos profissionais pudessem atuar em espaços preparados internamente em suas próprias residências. Estratégias de restrição e de segurança sanitária foram tomadas e, em consequência de ações rápidas junto as equipes e os próprios clientes não tivemos grandes consequências nos resultados de 2020 e 2021. Estamos, atualmente, com grande parte da equipe em “teletrabalho” e mudamos a forma de gerenciar as tarefas, implantamos mecanismos de reunião à distância e, principalmente, auxiliamos nossos clientes a se adaptarem a nova realidade mantendo a disponibilidade dos ambientes de TI e a continuidade dos serviços. É incrível como, nas adversidades, o ser humano tem a capacidade de se adaptar e superar. Conosco não foi diferente.

Pode destacar algumas iniciativas de inovação significativas em 2019 e 2020?

R- Podemos destacar o Projeto de Inovação que envolve todas as camadas da Empresa:

CIT 4.0

Hiperautomação – Robotização, Automação Cognitiva e Analytics

Transformação Digital – Prefeitura na Palma da Mão – foco no cidadão, usuários e clientes

Cloud Services – Jornada dos serviços digitais para a nuvem

AIOPS – Inteligência Artificial na Análise e Monitoramento de Infraestrutura de TI, Gerenciamento de Aplicações e Desempenho de Negócios

Como a empresa trabalha com o ecossistema de startups? Quais os programas e quais trouxeram mais resultados?

R- Construímos uma área de inovação transcendendo a operação e o negócio com o objetivo de realizar prospecção contínua de tecnologias e tendências para o mercado com mapeamento do ecossistema brasileiro de startups, em busca de parceiros que possam maximizar os resultados do core business da Central IT.

O maior resultado veio da parceria estabelecida com a startup 65A, com a Plataforma Simon, em relação ao diferencial tecnológico que foi construído e alinhado à estratégia de atuação inovadora junto aos nossos clientes, possibilitando a atuação com uso de inteligência artificial, para implantação da hiperautomação em novos clientes, como por exemplo: a Universidade Federal Fluminense, a Secretaria Municipal de Saúde de Salvador, o Ministério da Justiça e o Ministério da Cidadania, que contam com a plataforma Simon implantada em seus ambientes sendo responsável por milhares de automações por mês.

Quais os impactos da Lei Geral de Proteção de Dados que entrou em vigor em agosto? Como a empresa se preparou?

R- A Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais – LGPD é a norma brasileira que regula a coleta, o uso, o tratamento, o compartilhamento e a proteção de dados pessoais, tanto no âmbito privado como público, trazendo uma mudança significativa no modo como as organizações utilizam e protegem essas informações.

É importante registrar que a Central IT presta serviços nesse segmento e conta com uma equipe qualificada com habilidades harmônicas de negócio, técnico e jurídico, que desenvolvem serviços de adequação aos requisitos da LGPD aos seus clientes, colaboradores e parceiros.

Assim sendo, a Central IT fez um trabalho de revisão dos seus processos internos, realizando adequações nas documentações, sistemas, procedimentos e rotinas para atender às exigências e preceitos impostos pela LGPD, com foco nos pilares de governança, tecnológico e jurídico.

Deve entrar em novos negócios ou atender outros mercados em 2021?

R- Sim, estamos empenhados em inovar a nossa forma de prestar serviços e para isso temos uma meta de ampliar a utilização de novas tecnologias, como inteligência artificial, portal de serviços digitais e hiperautomação com foco em novos mercados e clientes.

Conheça mais sobre nossos serviços.

Preencha esse formulário e receba nossos conteúdos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

vinte + 8 =

TOPO